O que o multiverso de Homem-Aranha: Longe de Casa significa para o Universo Cinematográfico Marvel (Análise)



É preciso sempre prestar atenção ao que Kevin Feige tem a dizer. Não é de hoje que o todo-poderoso da Marvel afirma que tudo será bem diferente após Vingadores: Ultimato e, pelo visto, isto não se refere (apenas) ao destino dos super-heróis principais. Afinal de contas, o novo trailer de Homem-Aranha: Longe de Casa revelou que as viagens no tempo de Homem de Ferro & cia abriram as portas para o multiverso! Foto: AdoroCinema / AdoroCinema saiba mais Homem-Aranha – Longe de Casa: Mysterio explica o Multiverso a Peter em novo clipe Irmãos Russo e roteiristas discordam sobre Capitão América Homem-Aranha – Longe de Casa: Análise do novo trailer O mundo após Vingadores – Ultimato: Qual o futuro do Universo Cinematográfico Marvel Homem-Aranha: Longe de Casa vai encerrar Fase Três do Universo Cinematográfico Marvel Para quem não o conhece, multiverso nada mais é do que a possibilidade de que várias dimensões paralelas coexistam, cada uma com sua variável. Nos quadrinhos, por mais que seja mais associada à rival DC, a Marvel também já andou explorando tal possibilidade, especialmente na construção do universo Ultimate onde nasceu Miles Morales, o astro de Homem-Aranha no Aranhaverso. Sua transição para o cinema, claro, não é por acaso.
Miles Morales, o novo Homem-Aranha dos quadrinhos Após a compra da Fox pela Disney, a Marvel detém os direitos cinematográficos de praticamente todos os seus super-heróis – a única exceção é o Homem-Aranha e seu universo particular, que segue sob o comando da Sony. Por mais que o Cabeça de Teia esteja agora integrado aos Vingadores, graças a um acordo histórico entre os estúdios, isto permite que a Sony siga produzindo filmes como Venom e o ainda inédito Morbius, sem qualquer interferência da Marvel. Isto, também, pode mudar. Com a iminente entrada dos X-Men e do Quarteto Fantástico no Universo Cinematográfico Marvel, decorrência direta da compra da Fox, a grande pergunta que ronda a mente dos cinéfilos marvetes mundo afora é: como Afinal de contas, ser mutante é um estado natural, uma evolução em relação ao genoma humano, que ocorre a qualquer momento e época. Não há como estabelecer uma “origem” dos mutantes de forma a inseri-los na linha temporal do UCM, como aconteceu com o Homem-Aranha e tantos outros heróis. A saída deste problema pode ser o multiverso.
No trailer recém-lançado de Homem-Aranha: Longe de Casa, Mysterio (Jake Gyllenhaal) explica que veio da Terra-833, uma dimensão paralela à dos heróis já conhecidos, tudo corroborado por Nick Fury (Samuel L. Jackson). Ou seja, é bem possível que exista uma outra Terra onde os mutantes existam desde sempre, resultando nos X-Men. Trata-se de uma saída factível e bastante coerente para inserir o grupo de heróis mutantes na cronologia do Universo Cinematográfico Marvel. O mesmo pode acontecer com o Quarteto Fantástico, por mais que seja bem mais fácil simplesmente replicar o acidente cósmico que deu poderes aos heróis na linha temporal tradicional do UCM. Seguindo neste caminho, é possível até que, no futuro, os filmes produzidos pela Sony com os vilões do Homem-Aranha possam, também, ingressar no UCM – caso haja algum acordo entre os estúdios, é bom ressaltar. O mesmo vale para Miles Morales, replicando seu nascimento nos quadrinhos. O conceito de várias Terras paralelas abre um imenso leque de possibilidades, que pode até mesmo incluir um sonho dos irmãos diretores Joe e Anthony Russo: adaptar para o cinema a saga Guerras Secretas, que mostra justamente o fim do multiverso. Seria esta a conclusão da “Fase Quatro”, assim como a batalha contra Thanos foi o ápice da atual fase
Tudo isto, é claro, são apenas suposições. A Marvel nada disse sobre o que vem por aí na provisoriamente chamada Fase Quatro, nem quando (ou como) seus recém-adquiridos heróis adentrarão o universo compartilhado mais bem-sucedido da história do cinema. Há ainda uma outra possibilidade, esta bem menos empolgante: Mysterio simplesmente mentiu, se aproveitando da surpresa causada pelo desaparecimento e súbito retorno de metade da população mundial, cinco anos depois. Não seria incoerente, visto que nos quadrinhos o personagem é um vilão especializado em usar truques com efeitos especiais para enganar o público (e os heróis). Mas, diante da expectativa gerada com o que o multiverso pode gerar, seria uma baita ducha de água fria. compartilhe comente comentários

Fonte: Terra




Comente







Posts Relacionados