Habilitações e qualificações garantem aumento de R$5 milhões para custeio e investimento na rede de Saúde Mental



Campo Grande, 09/01/2020 às 16:40 Com a habilitação e qualificação de diferentes unidades da Rede de Atenção Psicossocial (Raps) de Campo Grande, o município passará a contar neste ano com aporte de R$5 milhões a mais para custeio e investimento nos serviços de saúde mental, o que consequentemente oportunizará a ampliação e melhora na oferta dos atendimentos prestados à população campo-grandense.Conforme relatório da Coordenadoria da Rede de Atenção Psicossocial (Crap), o Centro de Atenção Psicossocial (Caps) Álcool e Drogas III, inaugurado em 2016, passou a ser reconhecido na modalidade IV, o que garantiu o incremento de R$295 mil passando de R$408 mil para aproximadamente R$710 mil, somado ao recurso do Governo do Estado.Com isso, Campo Grande passa ser um dos poucos municípios do País  com mais de 500 mil habitantes com o serviço em funcionamento, em atendimento a Portaria Nº 3.588, do Ministério da Saúde, de 21 de dezembro de 2017. Durante o processo de habilitação e qualificação o número de leitos de acolhimento passou de 12 para 20 e a unidade passou a funcionar 24 horas.Outro serviço habilitado foi a Residência Terapêutica  “Miguel de Cervantes”, no bairro Giocondo Orci. A unidade foi inaugurada em novembro do ano passado e contará com incremento de R$30 mil.O Ambulatório de Saúde Mental tipo III e  a equipe EAP -Integra também tiveram as habilitações publicadas, tendo um aumento de R$90 mil em recursos para custeio.Além das habilitações e qualificações, o município recebeu no ano passado o repasse pontual de R$290 mil de incentivos referentes a qualificação dos Caps Afrodite Doris Contis e Infanto Juvenil (I.J) e para implantação do Caps Álcool e Droga Coophavilla II e da Unidade de Acolhimento Infanto Juvenil “Aprendendo a voar fora da asa”, previstos para este ano.RapsA Rede  de Atenção  Psicossocial  de Campo Grande possui 6 CAPSs, sendo 4 CAPS III, 1 CAPS IV, 1 CAPS Infanto Juvenil, 1 Unidade de Acolhimento e 1 Residência Terapêutica, funcionando 24 horas por dia, com média de 1300 consultas ambulatoriais de saúde mental e 2500 mil atendimentos nos CAPS por mês.  Os CAPS tem período de permanência de 15 dias podendo ser prorrogado mediante necessidade e parecer médico e a residência terapêutica possui “internação” permanente. Em novembro do ano passado foi inaugurada mais uma residência terapêutica “Miguel de Cervantes”, com dez leitos, e até o primeiro semestre deste ano será inaugurado mais um CAPS AD, com mais 20 leitosNovas habilitaçõesAinda para este  ano, a expectativa é de que, com a a liberação das novas habilitações registradas junto ao Ministério da Saúde, a Rede de Atenção Psicossicla do município passará a contar com um incremento de mais R$6,5 milhões, totalizando um aumento de R$11,2 milhões em dois anos, somente de recursos federais.

Fonte: Capital MS




Comente







Posts Relacionados