Visando prevenir enchentes, Prefeitura realiza limpeza de córregos, canais e bocas de lobo


- teste

A prefeitura de Campo Grande anunciou que está realizando uma grande limpeza nos córregos que cortam o perímetro urbano da Capital. Estão sendo realizadas obras de limpeza e desobstrução da parte da rede de drenagem, com o objetivo de prepara a cidade para o período de chuvas que está chegando.

Segundo o órgão, estão sendo limpos canais, galerias pluviais, bocas de lobo, além do desassoreamento na nascente dos Córregos Revellion e Segredo, na região do Estrela do Sul. De lá, já foram extraídos 9 mil metros cúbicos de areia, que foram transportados em 900 viagens de caminhão. Ainda de acordo com a Prefeitura, em média, estão sendo limpas 8 mil bocas de lobo por mês.

Para o superintendente de Serviços Públicos da Capital, Mehdi Talayeh, todas as ações realizadas são preventivas, e visam reduzir o impacto do período de chuvas sobre a estrutura de drenagem da cidade. “O trabalho não é uma garantia que não haja transbordamento dos córregos e consequência, o alagamento no entorno dos córregos. Se o volume de chuva ultrapassar os índices históricos de precipitação, provavelmente teremos problemas pontuais, cuja solução, depende de pesados investimentos na construção de bacias de contenção e represar de contenção. Até que se encontrem recursos para viabilizar os projetos, a alternativa é reforçar a manutenção”, destaca.

Nesta quarta-feira equipes da SISEP trabalharam na limpeza do canal do Córrego Prosa, na altura do piscinão às margens da Rua Paulo Coelho Machado. O objetivo é retirar areia acumulada na entrada das galerias, pedras, galhos de árvores que descem junto com a correnteza. “Este material reduz a capacidade de vazão do córrego, aumentando o risco de transbordamento”, explica Medhdi.

Nas três frentes de pavimentação em andamento na cidade (nas regiões do José Tavares, Jardim Anache e Nova Limpa e no Santa Luzia, em licitação), os projetos prevêem a construção de piscinões. Estas bacias de contenção vão reduzir a pressão sobre os córregos Imbirussu, Botas e Segredo. Neste último, o assoreamento das bacias de retenção,tem provocado o transbordamento na altura da rotatória das avenidas Ernesto Geisel com Rachid Neder, onde recebe ás águas do Cascudo.

“Com a retirada de 4 mil metros cúbicos de areia do Segredo, acredito que se não chover acima da média histórica num curto período,os transtornos serão bem menores”, avalia o superintendente.

No Jardim Anache, onde a pavimentação já foi concluída, estão sendo implantados de 870 metros de tubulação numa área de servidão dentro da Chácara Chaparral. São tubos de 80 e 1 metro de diâmetro, com um dissipador de energia para reduzir a velocidade da enxurrada antes de desembocar no Córrego Botas.

Foto: Divulgação / PMCG



Comente







Posts Relacionados