Força-tarefa deflagra Operação contra crimes de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes em Campo Grande


- teste

A Polícia Civil, Polícia Militar e Ministério Público Estadual deflagraram na manhã desta terça-feira (18), a Operação “Araceli”, com o objetivo de dar cumprimento a 27 mandados de prisão e de busca e apreensão, expedidos pela 7ª Vara Criminal de Campo Grande, em desfavor de condenados por crimes praticados contra crianças e adolescentes, a maioria por abuso e exploração sexual.

As ações resultaram na prisão de 30 pessoas condenadas pela prática de crimes contra crianças e adolescentes em Campo Grande. Destes 20 foram presos somente nesta manhã e outros 10, na última semana.

A força-tarefa realizou uma Coletiva de Imprensa, transmitida via redes sociais, no final da manhã. O ato contou com a presença da Delegada Geral Adjunta da PCMS – Rozeman Geise Rodrigues de Paula, o Diretor do Departamento de Polícia Especializada, Delegado Fabiano Nagata, a Delegada Titular da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente – DEPCA, Marília de Brito Martins, o Promotor de Justiça, Marcos Alex Vera de Oliveira e o Comandante Geral da PMMS, coronel Marcos Paulo Gimenez, onde puderam descrever as ações realizadas.

A Delegada Geral Adjunta da PCMS – Rozeman Geyse Rodrigues de Paula falou sobre a importância da atuação das forças de segurança na execução dos mandados de prisãoe destacou o apoio da Coordenadoria Geral de Perícias e do Sistema Penitenciário Estadual, que deram suporte a grande demanda de presos.

A delegada Marília de Brito Martins, titular da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), falou sobre os danos provocados às crianças e adolescentes e destacou a omissão de familiares e responsáveis com este tipo de violência.

Operação “Araceli”

A Operação “Araceli” integra as ações do “Maio Laranja”, mês de combate à exploração e ao abuso sexual de crianças e adolescentes.

A ação lembra o caso da menina brasileira Araceli Cabrera Sánchez Crespo, assassinada em 18 de maio de 1973, aos 8 anos de idade, na cidade de Serra, no Espírito Santo. O corpo da criança foi encontrado somente seis dias após o crime, desfigurado por ácido e com marcas de violência e abuso sexual. Os acusados pelo crime foram absolvidos e o processo arquivado pela Justiça, fato que instituiu o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

 




Comente







Posts Relacionados